RODRIGO FONSECA

RODRIGO FONSECA

RODRIGO FONSECA

Carioca de Bonsucesso, criado do Morro do Adeus, Rodrigo Fonseca (nascido em 1979) é crítico de cinema, roteirista da TV Globo e escritor, formado pela Escola de Comunicação da UFRJ. Desde 2015, assina o blog P de Pop no jornal O Estado de S. Paulo, além de escrever resenhas e fazer vídeos para o Almanaque Virtual do UOL e colaborar com entrevistas para a revista Blooks. É o correspondente brasileiro da maior revista de cinema de Portugal, a Metrópolis, desde 2013. Escreve ainda para o site luso C7nema. Assina diariamente críticas no site Laboratório Pop. Na TV, escreveu a versão 2017 de Os Trapalhões, o programa Encontro com Fátima Bernardes e o roteiro do Show do Oscar 2017. Fez também pesquisas para roteiros das séries “Sob Pressão” e “Segunda Chamada”. Roteiriza o programa “Cone Sul”, do Canal Brasil, desde 2010, no qual escreve sobre estéticas da América Latina. É autor da peça “Encontros Impossíveis”, que estreou em 2013 e viajou todo o Brasil, tendo sido encenada em Nova York. Publicou o romance “Como era triste a chinesa de Godard” (ed. Record, 2011). Traduziu a peça “O estranho caso do cachorro morto”, de Mark Haddon, para Moacyr Góes, em 2014. Escreveu ainda os livros “Stallone e as coisas que ficaram guardadas no porão” (Fólio Digital, 2019), “Meu compadre cinema – Sonhos, saudades e sucessos de Nelson Pereira dos Santos” (Coleções Caderno Cine Academia, 2005) e “Cinco mais cinco – Os melhores filmes em bilheteria e crítica” (ed. Leggere, 2007), com Luiz Carlos Merten e Cacá Diegues. Organizou a coletânea das crônicas de Carlos Diegues: “Sempre aos Domingos”. Dirigiu o .doc “Corpo de Cristo” (2012), para o projeto Logo+, do jornal O Globo.

× Whatsapp